Associação dos Amigos do Casarão da Várzea • Associação de Pais e Mestres do Colégio Militar de Porto Alegre
Slider
Slider

Falecimento do AA Senador Arolde de Oliveira

 

 

A Associação dos Amigos do Casarão da Várzea (AACV/APM) lamenta profundamente informar o falecimento do Antigo Aluno (EsPPA 1956) Senador Arolde de Oliveira, hoje  (21/10) ocorrido, aos 83 anos de idade, devido a complicações causadas pela Covid-19.

Natural de São Luiz Gonzaga, onde nasceu em uma família pobre a 11 de março de 1937, foi engraxate no início da adolescência. Estudou na Escola Preparatória de Porto Alegre, onde se formou em 1956.

Ingressou na Academia Militar das Agulhas Negras no ano seguinte. Após concluir o curso da Arma de Engenharia na AMAN, sendo graduado como aspirante a oficial, em 1960, ingressou no Instituto Militar de Engenharia (IME) para cursar Engenharia Eletrônica.

Cursou diversas pós-graduações em áreas correlatas: Física Quântica, Matemática Moderna, Engenharia Econômica. Formou-se também em Ciências Econômicas na Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio de Janeiro. Em 1982, cursou a Escola Superior de Guerra.

Saiu do Exército (como Coronel) porque surgiu a oportunidade de iniciar uma carreira executiva na Empresa Brasileira de Telecomunicações, a Embratel. O Plano Nacional de Telecomunicações estava sendo estruturado e teve o privilégio de ser um dos primeiros engenheiros a ingressar nessa fase. A partir daí, fez uma carreira técnica e científica dentro da Embratel. Em seguida, migrou para a área executiva dentro do setor de Telecomunicações, participando de todas as decisões importantes na década de 70. Foi Diretor do Departamento Nacional de Telecomunicações (DENTEL).

Como diretor de Engenharia da Embratel, passou a morar nos Estados Unidos a fim de integrar a representação junto à Organização Internacional de Telecomunicação por Satélite, a Intelsat, que fazia toda a comunicação global via satélite. Era composta por 105 países membros e Arolde representava o Brasil como governador da instituição. Foi um período muito produtivo, não apenas como executivo e administrador, mas também como técnico e engenheiro na área de telecomunicações. Até porque estava acontecendo a mudança de tecnologia de um tipo de satélite geoestacionário para outro tipo. E ele participou intensamente dessa transição, convivendo com as grandes administrações internacionais de todos os países na área de telecomunicações.

Ao retornar para o Brasil, decidiu entrar na política principal com o objetivo de privatizar o setor de telecomunicações. Foi eleito deputado federal pelo RJ por nove mandatos, sendo responsável pela entrada do sistema de comunicação por celulares no Brasil e pela redação de muitos textos da Constituinte de 1988, inclusive o capítulo sobre liberdade de imprensa, censura, propaganda comercial, regulamentação sobre faixa etária, etc.

No primeiro mandato, passou um ano fora da política por ter assumido a vice-presidência da Empresa de Telecomunicações do Estado do Rio de Janeiro, a Telerj.

Foi Secretário de Trabalho e Renda do Estado do Rio de Janeiro e Secretário de Transportes da Secretaria Municipal de Transportes do Rio de Janeiro.

Foi também um empresário de visão, sendo proprietário, junto com sua amada esposa Yvelise, do Grupo de Comunicação MK (Rádio 93FM, jornal El Shaday, revista Enfoque, uma editora de livros, uma editora de Direitos Autorais e a Elnet, empresa de conteúdo online).

Nas eleições de 2018, Arolde de Oliveira foi candidato a senador pelo Rio de Janeiro pelo Partido Social Democrático (PSD). No pleito, obteve 2.382.265 votos (17,06% do total de votos válidos), sendo eleito para o Senado Federal do Brasil, onde cumpria um profícuo mandato.

Como pessoa, além de um pai de família exemplar e de um amigo sempre disposto a ajudar, era profundamente religioso e dedicado às causas sociais, colaborando pessoalmente com diversas entidades voltadas a pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Ao destacado militar, empreendedor, visionário, político, cientista e empresário Arolde de Oliveira, a nossa sentida continência!

À D. Yvelise e demais familiares e amigos, as condolências e um fraterno abraço da AACV e do CMPA...